COLEÇÕES DE RESTOS HUMANOS ARQUEOLÓGICOS: INTEGRAÇÃO E GESTÃO

Formador responsável: Rita Gaspar

Outros formadores: Cidália Duarte

Número máximo de participantes: 10

Tipo de curso: teórico-prático

Data: 20 de novembro de 2020 | 10h00 – 18h00

Duração: 6h

Local: Instalações do MHNC-UP no Edifício Histórico da Reitoria da U.Porto – sala 1.11

Preço: 50 € (inscrição regular); 30 € (estudantes e funcionários de instituições abrangidas pelos protocolos MHNC-UP para a promoção e divulgação das coleções e património científico); 70 € (instituições e empresas); gratuito (funcionários de instituições associadas ao consórcio PRISC) | | Estão disponíveis 6 Bolsas PRISC (inscrição gratuita), sendo dada prioridade a candidatos desempregados, residentes fora da área metropolitana do Porto e estudantes – as bolsas excedentes serão distribuídas por ordem de receção das inscrições.

DESCRIÇÃO

Tipologia das coleções históricas e atuais de antropologia biológica arqueológica. Desafios e questões específicos de curadoria: conservação, inventariação, higienização, acondicionamento, valorização, políticas de recolha de amostras. Contextualização e relação destas coleções com a coleção geral de arqueologia. Papel, limites e potencialidades destas coleções na investigação e museologia.

OBJETIVOS

O objetivo do curso é introduzir os participantes a um corpo de conhecimentos sobre restos humanos arqueológicos e colecções de antropologia biológica, suas especificidades ao nível da gestão museológica e papel na investigação contemporânea.

Objectivos de aprendizagem:

  • Compreender os conceitos de coleção de antropologia biológica arqueológica no contexto da produção do conhecimento científico;
  • Compreender o papel das colecções de antropologia biológica arqueológica, sobretudo na vertente de infraestruturas do conhecimento para a comunidade científica e o grande público;
  • Apreender noções básicas de integração e gestão destas coleções em contexto de museu.

Competências específicas:

  • Perspetivar as coleções de antropologia biológica no contexto museológico e da investigação;
  • Relacionar registos e espécimes arqueológicos com a gestão de coleções museológicas e produção e o ensino do conhecimento científico;
  • Conhecer de forma introdutória instrumentos de documentação, exposição, preservação e gestão de coleções de restos humanos arqueológicos.

PLANO DO CURSO

Apresentação oral pelos formadores dos vários tópicos constantes do programa, acompanhada de discussão e distribuição de bibliografia previamente selecionada. Contacto dos formandos com espécimes e experiência de processamento dos mesmos.

AVALIAÇÃO

Informal: participação oral dos formandos.

Voltar